Por Márcia Vasconcelos para as Blogueiras Negras

Seu deus te representa? Imagem e semelhança?

Um homem branco, cabelos lisos e olhos claros. Esse foi o primeiro deus que me ensinaram a temer. Sim, a temer, já que seres humanos temem ir para o inferno.

Eu sempre me julguei esperta demais, mas nunca me questionei sobre as religiões que me foram impostas.  Depois me aprofundei na chamada religião protestante, que sempre tratavam das religiões africanas como de invocação maligna,  tive medo e por isso, preconceito, mais uma vez estava negando a minha raiz porque me ensinaram que isso (Candomblé, Batuque, Xambá etc…)  é algo ruim, muito ruim.

Eu não estou querendo criticar religiões menos ainda discutir, mas é meu direito questionar e o direito de quem quer que seja de não gostar.

Ao dizer essas coisas sobre religião estou me libertando, ainda que de forma tímida eu não sei nada da religiosidade do meu povo sou órfã de crença e queria muito aprender , mesmo morando em uma casa com duas evangélicxs .

Eu me torturo ao pensar que ODEIO preconceitos e sou cheias deles é como se eu não tivesse mais propriedade para LUTAR, dói sabe? O bom que sempre é tempo de recomeçar e quero aprender sobre minha história.

Quem te ensinou a odiar seu deus?

Ainda não me sinto à vontade em frequentar ritos de candomblé entre outros, e admitir isso faz parte da minha remissão:  reconhecer o medo que colocaram em mim, e nas demais pessoas. Uma pessoa pode ser tudo, mas se for praticante da religião africana é temida porque reza de preto é coisa do demônio, eu aprendi a respeitar. Eu senti vergonha, sou negra e tive medo de uma característica do meu povo, do seus  Deuses.

filhas_de_santo

Seu deus é racista? Homofóbico? Machista?

Como não faço parte de um modelo politicamente correto, pude perceber que o Deus que me ensinaram a temer é preconceituoso, veja bem não estou desrespeitando os catolicxs e nem evangelicxs ,vou expor os motivos de minhas conclusões.

Sou Feminista, dentre várias coisas que isso significa, digo que  não sou submissa ao patriarcado, não quero ser a esposa perfeita : o marido assiste  jogo e ela lava louça, não me importo com a tal da costela de Adão.

Ensinaram-me a  submissão prefiro ser subversiva, prefiro ser feliz

Seu deus gosta de preto?

E é claro o período do horror que nosso povo sofreu teve apoio do que eu chamo de “quarto poder Papista” ou “Entidade católica” como vocês preferirem. Apresentem-me, um papa negro? E sim existiram três africanos,  mas eram brancos, vejam bem tudo referente ao povo preto sempre foi julgado como algum ruim, junte isso com o fato de a entidade espiritual mais poderosa ser branca. Alguém devia questionar isso, nos tiraram da nossa terra, da nossa cultura e nos fizeram ajoelhar diante de um  homem branco do qual não sabíamos nada.

Você tem fé ou medo?

Além disso,  não vou casar com um homem e ser esposa e mãe, vou me casar com uma mulher e ser plenamente realizada, a ordem menino e menina não faz sentido pra mim e somente por isso nas duas religiões sou condenada ao inferno, como servir a um Deus que me tira o direito de escolha? Escolhi deixar de ter medo e viver, escolha difícil.

Quem te apresentou teu deus?

Por fim não tenho a intenção de atacar as outras religiões e nem provocar uma discursão sobre a mesma o que seria uma perda de tempo, só quero ressaltar que assim como aceitar nossas características físicas e descobrir beleza em nós mesmo é fundamental olhar com amor tudo que faz parte de nós e isso inclui o respeito a religião de matriz africana bem como todas as suas manifestações . Vamos pensar racionar e, questionar.

Qual o caráter do deus que você serve?

02-O-que-esta-por-tras-da-religiao

Links para que se aprofundem na questão:

Professora, a senhora é evangélica e conhece a História da África?! – Mamapress

Blog Ogum’s Toques

Marcha do Estado Laico

Minha Maior Herança – Blogueiras Negras

Vera de Oxaguiã – Blogueiras Negras

Uma fé que nada tem a ver com o diabo – Blogueiras Negras

  • Nossa eu sou soteropolitano e vivi isso, vos crentes adoram demonizar a religiao afro, eu participarva de caruru de 7 meninos e alguns amigos meus crentes achavam que era possuido peolo demonio, nada aver hahah, aqui em Salvador nos vivermos bem a cultura africana, tal como o acarajé, caruru , e algumas tradições, eu tenho muito orgulho disso e de ser newgro!

  • Davi dos Santos

    que textinho (nao estou diminuindo teu texto…eh apenas uma maneira carinhosa, se nao gostares eu peço desculpas, mas a ideia eh nao ofender) gostoso de ler Marcia. este ensaio sobre tuas apreensões de teus preconceitos eh basicamente o que sinto. sempre me senti bem recebido na matriz africana… e sempre tive medo da construção religiosa que foi crida pela Igreja católica e subsequentes (ja que vivemos em uam sociedade ocidental)…. adorei ler sobre as apreensões que muitos de nós temos….

  • Jessica

    Sou negra e assumidamente Católica Apostólica Romana e gostei dos seus questionamentos. Acredito que estejam faltando alguns apontamentos históricos para embasá-lo mas compreendo que aqui não caberia dissertar expressivamente sua opinião. Há algumas semanas vinha fazendo os mesmos questionamentos que você e até cheguei a pensar que esse tal “céu” que meus amigos de grupo de oração falam, deve ser coisa para os playbozinhos heteros e brancos… Mas sabe o que eu aprendi? Que em qualquer religião que você for, QUALQUER, haverão pessoas e pessoas, e nessa diversidade certamente você encontrará pessoas que irão dar um super contratestemunho, e que bom que isso aconteça, porque a nossa fé não deve ser dirigida à nós mesmo que somos um nada, nos traimos diversas vezes inclusive (ou vai dizer que você nunca começou uma dieta na segunda e no domingo deu uma “puladinha de cerca” que te rendeu uns 3 quilinhos a mais? hahahahhahaha’) O que eu posso esperar de você? Que você seja você, humana, inconstante, em construção… Só. Não espero muita coisa além do que sua humanidade possa oferecer (os detalhes disso claro, a gente descobre na convivência). O que quero dizer é que talvez infelizmente você tenha encontrado pessoas como eu, que sabiam muito da Bíblia, mas nada sobre ser cristão, sobre ser discípulo do Cristo. Diz a Bíblia (e aí não sei se você acredita, mas é que não tenho outro livro pra me embasar) que o lugar onde Jesus mais gostava de estar era Bethania uma comunidade de leprosos. Lazaro era leproso e Jesus o amava. Eu sou taxada pelo mundo de orgulhosa, vaidosa, metida, falsa… Mas Jesus me ama. Eu sei que o foco não era bem esse mas eu queria muito tambem me expressar. Em nome da Igreja, (porque eu sendo membra dela me sinto no direito de fazer isso) peço que perdoe aos nossos irmãos que não deixaram uma história muito bacana pra dizer sobre o Cristianismo (e aí, envolve também os protestantes). Não se esqueça que o que é bom, produz em nós o sentimento de paz e amor, não importa o que aconteça. E por ultimo, lembre-se que quem não sabe o que é amor, amar e ser amado, não aprendeu absolutamente nada sobre ser cristão (ou ser gente). Paz e bem companheira!

  • Não tenho religião, não me encaixei em nenhuma e vice-versa até hoje, mas quando me aproximo às de matriz africana, me sinto em casa, um indivíduo que faz parte daquilo, não um estrangeiro aceitando a religião de outros. Porém, sou tão mesclada, que me prender a apenas a africana me faz sentir abandonando a outra família, sei lá, como se nenhuma fosse a minha mesmo enquanto vier de um só lugar. Não sei se meu pensamento vem da minha miscigenação e é comum a quem é igual a mim, ou é um sentimento único do meu espírito. Se for o primeiro caso, fica aí a inquietação.

  • Apesar de ser branca, hétero e agnóstica, me senti representada por este texto e principalmente por esta frase: “Ensinaram-me a submissão. Prefiro ser subversiva, prefiro ser feliz.”

    A parte da religiosidade me representou bastante, pois, apesar de não ter crescido dentro de uma religião, eu temia ir para o inferno, pois algumas pessoas me ensinaram isso. Isso fez com que eu procurasse uma religião. Não consegui seguir nenhuma, pois em algumas delas eu conheci esse deus machista, homofóbico e racista.

    • Que bom que gostou .. eu acho que se os seres humanos questionassem mais TODOS seriam bem mais felizes !!!!! e ser feliz em um mundo que pretende te dizer o que é felicidade é muito difícil o jeito e mandar eles …. e ser feliz !!!

  • O minha querida que bom que minhas palavras tocaram você ,ao escrever eu tive um certo receio que o texto fosse interpretado de outra forma como uma afronta sabe? mas o que eu queria dizer é que como as pessoas se dobram tão fáceis diante de tanta coisa obvia que não é questionada ! fico feliz por suas conquistas , e eu acho que esse Deus deve ser uma mulher negra e gorda! eu gostaria mais se fosse assim !

  • Fabiana

    Amei o texto…. amei como colocou cada ponto!!!
    Bom, não sou negra….. sou branca…. meu primeiro Deus, condenava qq coisa que passava até em meus pensamentos….
    Hoje sou umbandista…. onde tive que vencer o meu preconceito de várias coisas, vencer o meu medo….daquela imagem de “preto velho” sentado na frente da loja de umbanda….

    Eu não sou negra, sou branca…. mas isso nunca me definiu em nada…. pela religião que acredito e pratico, já fui descriminada, já sofri inumeros ataques, por ser “macumbeira”

    Bom….. sou uma branca, que entende e não aceita nada do que já me impuseram…. e sei bem o q vc diz…. já fui expulsa do cursinho de catecismo, pq eu queria saber pq Jesus tem olho azul?! porque todos na santa ceia eram brancos, cade os negros, japoneses e indianos?!

    Superar os proprios medos e os proprios preconceitos…. acredito que é parte mais dificil dessa vidinha!!!!

    Um beijo grande….

    Sou seguidora desse blog e amo …. muito as idéias e ideiais!!!!