Com tradução de Maiara Lima

Quero aproveitar esta oportunidade para falar sobre beleza, beleza negra, beleza escura. Eu recebi uma carta de uma menina e gostaria de compartilhar apenas uma pequena parte dela com vocês: “Cara Lupita,” onde se lê : “Eu acho que você realmente tem sorte por ser tão negra e ainda tão bem sucedida em Hollywood. Eu estava prestes a comprar um creme da “Whitenicious” para clarear minha pele quando você apareceu no mapa e me salvou.”

Meu coração sangrou um pouco quando li essas palavras, eu nunca poderia ter imaginado que o meu primeiro trabalho seria tão poderoso e que me tornaria em uma imagem de esperança, da mesma forma que as mulheres de “A Cor Púrpura” foram para mim.

Lembro-me de um tempo em que eu também me sentia feia. Eu ligava a TV e só enxergava pele pálida, fui provocada e insultada sobre o tom da minha pele cor de noite. E a minha única oração a Deus, o milagreiro, era que eu acordasse de pele mais clara. Na manhã seguinte, eu acordava tão animada em ver a minha nova pele que eu recusava a me olhar até que estivesse na frente de um espelho, porque eu queria ver o meu rosto claro de primeira. E todos os dias eu experimentava a mesma decepção de ser tão escura como eu era no dia anterior. Tentei negociar com Deus, eu lhe disse que iria parar de roubar cubos de açúcar à noite se ele me desse o que eu queria, eu obedeceria cada palavra da minha mãe e nunca perderia o casaco da escola de novo, se ele só me deixasse um pouco mais clara. Mas eu acho que Deus não se impressionou com as minhas barganhas, porque Ele nunca escutou.

E quando eu era adolescente, meu auto-ódio cresceu, como acontece durante a adolescência. Minha mãe me lembrou muitas vezes que ela me achava bonita, mas ela é minha mãe, é claro que ela deveria me achar bonita. E então … Alek Wek . Uma modelo célebre, ela era escura como a noite, ela estava em todas as passarelas e em todas as revistas e todo mundo estava falando sobre como ela era bonita. Até Oprah a achava bonita e fez disso fato. Eu não podia acreditar que as pessoas estavam abraçando uma mulher que parecia muito comigo, tão bonita. Minha pele sempre foi um obstáculo a ser superado e, de repente, Oprah estava me dizendo que não era. Foi desconcertante e eu queria rejeitá-lo, porque eu tinha começado a desfrutar da sedução da inadequação.

Mas a flor não poderia deixar de desabrochar dentro de mim, quando eu assistia Alek, via um reflexo de mim mesma que eu não podia negar. Agora eu tinha um degrau a cada passo meu, porque eu me sentia mais vista, mais apreciada pelos distantes guardiões da beleza. Em torno de mim a preferência pela minha pele prevaleceu, porém para os cortejadores com quem me importava, eu ainda era vista como feia. E a minha mãe novamente me dizia que você não pode comer beleza, porque ela não te alimenta, e estas palavras me atormentavam e incomodavam, eu realmente não entendia, até que finalmente me dei conta de que a beleza não era uma coisa que eu poderia adquirir ou consumir, era algo que eu tinha que ser.

E o que minha mãe quis dizer quando disse que você não pode comer beleza é que você não pode depender da sua aparência para se sustentar. O que é bonito é fundamentalmente a compaixão que você sente por si mesmo e por aqueles ao seu redor. Esse tipo de beleza inflama o coração e encanta a alma. Foi o que colocou Patsey em tantos problemas com seu mestre, mas também é o que tem mantido a sua história viva até hoje. Recordamos da beleza de seu espírito, mesmo depois que a beleza de seu corpo se foi.

E por isso espero que a minha presença em suas telas e revistas possa levá-la, jovem, em uma viagem semelhante. Que você sinta a validação de sua beleza externa, mas também chegue ao mais profundo objetivo que é ser bonita por dentro.

Não há sombra para essa beleza.

***
O discurso de Lupita Nyong’o foi feito no evento ESSENCE Black Women In Hollywood.

  • Um vez eu disse a minha professora “Não quero ser negra ” , pois nas histórias só apanhamos o tempo todo.

  • É só pra vcs verem como a tv fazem mudar a cabeça das pessoas outra vez estava eu vendo um documentario na tv fechada sobre bonecas nigerianas, em que o pai de umas criancas nigeiranas queria criar as bonecas negras, pq suas filhas estavam vendo muita tv e queriam ser branca e ter cabelo “liso” e olhos azuis

  • Ela e simplesmente maravilhosa e linda de viver,boa sorte

  • maria

    fico muito feliz com que lupita disse em seu discurso, mas também fico triste pois foi a única negra a ganhar o óscar em 2014,ou seja todo o ano é a mesma coisa apenas um negra leva o óscar para casa, precisamos realmente lutar contra isto pois já esta ficando chato de se ver na TV , aposto que no ano de 2015 vai ser a mesma coisa e não vai mudar nada, ou seja umas 10 loiras leva óscar, umas 5 morenas clara leva o óscar, umas 3 ruivas leva o óscar, e penas 1 negra leva o óscar.
    Esta tão repetitivo as entregas dos óscar que nem vale a pena ver.

    • Bia Rosa

      Ela foi a segunda negra na historia a levar o Oscar.

  • Rosane Oliveira

    Perfeito!

  • Eu assisti ao discurso mas nao prestei mta atenção, somente no final. Mas agora lendo, q maravilha. O filme tmb é maravilhoso, um acorda Sociedade! Eu tmb ja me senti como ela, felizmente, hj me considero a mulher mais linda do mundo, em todos os sentidos! 🙂

  • fabio nogueira

    Lendo este experiência de Lupita faz lembre-me do ator Morgan Freeman com aquele pensamento ridículo que circula nas redes sociais sobre consciência negra.

    O negro sofre de referencia e auto estima . No Brasil ainda somos muito carente dessas referencias para os negros e claro as crianças e jovens. Temos que nos firma como negros sim! Temos de conquistar os nossos espaços dentro da vida social do país . Não podemos tampar o sol com a peneira e fingirmos que não há desigualdade racial. Volto a repetir: o dia que levarmos a sério o debate em torno do racismo e querer encarar de perto,deixaremos uma sociedade melhor para os demais .

  • Maria Lima

    A tradução da última sentença, está errada, ela disse: “And so I hope that my presence on your screens and in magazines may lead you, young girl, on a similar journey. That you will feel the validation for your beauty, but also get to the deeper business of feeling beautiful inside. There is no shade in that beauty.” Parece que quem traduziu ouviu “shame” e criou uma frase maluca… o que ela disse foi que na beleza interior não há cor ou tons.

    • Maria Lima

      Desculpa, mas a tradução da última sentença continua errada. Não é: ”Não há sombra para essa beleza.” Ela disse: “There is no shade in that beauty”. A tradutora confundiu shade (tom, cor) com shadow (sombra) são duas palavras diferentes e muda muito o sentido do que foi dito! Desculpa a chatice, mas quero apenas ajudar.

  • Eu também passei por tormentos como esse na infância,na pré adolescência,quando jovem e também como adulta,mas eu sempre ignorava a todos, usava a ignorância para ataca´los.
    Mas depois percebi que precisava ser mais esperta, então comecei a me defender com mais inteligência procurando estudar e ver os meus direitos e até mesmo discutindo com mais pessoas, levando pra escolas e outras organizações com palestras e oficinas.

  • Valérie Mesquita

    lindo lindo lindo

  • Maira Lima

    Que discurso mais lindo e acima de tudo politico! Emocionei…. que outras mulheres possam ser tocadas por Lupita, pois Não há vergonha na beleza negra!

  • sandra martins

    Maravilhosas palavras.

  • Me dá vontade de chorar lendo essas palavras, eu sou essa menina, eu sou ela, eu sou eu. As pessoas, as outras, aquelas que não são mulheres negras, são incapazes de compreender os desafios sociais impostos por sermos como somos, e a dificuldade de aprender com eles e vence-los, nos tornarmos mais fortes a cada dia e deixar todo esse complexo de inferioridade que acabamos por sentir em algum momento da nossa jornada, no passado.

  • vandeca

    Me disseram, você não é negra, é mulata. Preferi ser negra pois precisa encarar a ausencia de reconhecimento e de redistribuição. Sou negra, e vou enfrentar aquel@as que sempre me empurram para o final da sala. Ah, eu volto.

  • Adriana Miranda

    Me encantei,amei essa declaração !!! E quantas de nós meninas e ou mulheres negras, já se sentiu assim,ou com pensamentos iguais que impendem o amor próprio, a cor da pele e a textura e cor dos cabelos, não dizem nada quando a beleza da alma é tão amor que transborda um ser fazendo de suas atitudes e vestes belas e de luz!!!Amo ser humana sou uma mulher negra e cada dia mais e mais sinto que todos somos um!!! Adriana Miranda

  • gilson rego

    a partir do discurso de Lupyta podemos perceber o quanto as(os) artistas negras(os) dos EUA estão enganjados em relação as questões raciais. Ja no Brasil estamos a todo instante permitindo omissões,descompromisso e/ou quase generalizações evasivas tipo “isto não me atinge”,” todos somos iguais”, “o que importa é vc ser competente”. Tais posturas na verdade , não deixam de produzir uma estabilização do racismo, bem como direta e indiretamente apresentar uma “verdade” que alguns negros(as) são “exagerados” ao se manisfestarem de forma contundente em relação a estas questões. Seria interessante que cobrassemos dos nssos artistas um posição de enfrentamento. Afinal cada um(a) deles(as) estão representando todas as negras e negros deste país.

  • Paula Barraza

    Perfeito!

  • Lindo! Perfeito! :3

  • Discurso maravilhoso. Lupita é um dos mais importantes fatores para 12 Anos de Escravidão ser o que é. E ela é uma inspiração para todas nós. Mereceu o Oscar e que mais papéis venham para essa deusa. <3

  • Tiago

    Lindo discurso! Tenho orgulho da minha pele negra!

  • J-Chist

    Lindo texto!!

  • Bem hj que vi o filme onde Lupita atuou. Ela é linda! Esteve realmente fantástica na interpretação. Que seja sempre um exemplo<3

  • Quel

    Caramba, um discurso que toca na alma e que representa a realidade de muitas de nós. Muitas demoramos um tanto também para perceber, integralmente, que “Não há vergonha na beleza negra.” Palavras muito fortes e muito lindas!

  • Obrigado Lupita!