Eu acredito que há mudança, que há esperança, que há futuro, que há certezas, que há fé. Eu acredito que há vitórias, que há pessoas que acreditam no melhor não só apenas quando a bola rola.

Eu acredito que há avanços, acredito que há ainda mais espaços para ocupar. Que unir é ainda a melhor arma para vencer. Que a educação é o melhor jeito de crescer. Acredito que não há apenas uma fórmula de sabedoria, assim como há várias maneiras de se cultivar a cultura.

Que a aflição há de acabar, mas sem luta não há vitória. Temos que ter objetivos, maiores do que aqueles escritos nos livros. Acredito que a identidade vale mais do que o rótulo. Que a lei é falha, visto que foi idealizada por homens. Mas os mesmos homens que erram, podem acertar.

Acredito que nem tudo vem de cima, aqui embaixo temos o nosso dever. Acredito que lamentar não nos move. Mas acreditar em si mesmo faz o caminho até a montanha mais vantajosa.

Acredito que exista o caminho do bem, não acredito nas promessas de um mundo mais bonito. Mas sim em pessoas mais positivas.

Eu acredito nas diferenças, quando tratadas com igualdade, respeito.

Eu acredito em nós. Eu acredito na força da minha ancestralidade. Acredito no povo da pele preta. Eu acredito na gente.
A miséria, a mazela, a violência, a fome, o descaso, a impunidade, a indiferença, a descrença, a ignorância, a corrupção, são resultados de subtrações realizadas por nós. Se aprendermos a somar…

Nós temos um DNA marcado. Não temos escolha de cor. Mas temos opções de cota. Temos opções de ser ou estar. Só nós podemos avaliar o que é melhor pra gente mesmo. Acredito na voz. Não acredito na representação. Acredito que devemos ter o papel principal em nossas histórias.

Nossa história marcada pela oralidade. Está na hora de preencher os formulários em branco.

Acredito na escolha. Eu escolhi me mostrar sem medo, me identificar sem receio, a lutar pelo que vejo. A derrota se esconde naquele que não se assume. Eu escolhi fazer parte de uma vertente social que há anos caminha em prol de justiça. Mesmo sendo, em sua maioria, punida por ela. A justiça.

Eu faço parte da maioria. Eu sou a maioria. Nós somos a maioria. A repetição leva a perfeição.

A facilidade nem sempre é positiva. Eu acredito no merecimento. Eu creio na superação.

Eu acredito que no dia que eu deixar de acreditar o sentido da vida estará perdido.

Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome. Clarice Lispector.

Imagem destacada: Fabiana Aguiar, Guem & Abieié – Virada Cultural – São Paulo – Brasil. Por Cassiano, flickr.