Século XVIII, a fina sociedade brasileira mamava nas ama de leite

Para não ficar com os seus seios flácidos

E desde então nos tratam como serviçal

A revolta aqui é na violência das palavras, por enquanto!

Por que me pedem paciência?

Pegaram-me a força do meu reino

Lá antes dos tumbeiros eu era Rainha

Aqui usam meu corpo da forma que eles querem

 

Quando fecho os os lhos ainda sinto a mão do feitor sobre o meu corpo

Na saliva o gosto do falo da violência

No ouvido, o grito, gemido e a dor

Nas mãos, os calos as queimaduras

Nas costas, as feridas

Vocês me devem até a alma

E não me peçam pra ter calma

 

Eu sou a personificação da ira dos meus ancestrais

A vontade de encontrar os meus, mas não sei onde estão e em qual lugar procurar

Graças ao do Rui Barbosa que vocês tanto veneram

Eu sou o chicote que agora bate no lado oposto

A raiva e o nojo das mulheres estupradas pelos homens brancos dentro da senzala

O choro da criança após a Lei do Ventre Livre

E a paz de ser lançada ao mar e não ter que sofrer nunca mais

Vocês nos devem a alma e a vida

E o troco está sendo dado

A cada preta e preto que se formam na faculdade

 

A cada preta que resiste na desigualdade

Nas crianças lindas ostentando o seu belo crespo

Na velha guarda Preta sustentando a tradição africana

E nos terreiros resistindo à intolerância

E nas minas e nos manos que pegam o microfone e vomita tudo e aponta o dedo na cara do opressor

O navio negreiro de ontem é a viatura de hoje

Por que a lei da vadiagem ainda impera para os pretos

E o olhar da Princesa Isabel eu ainda vejo

Sempre encontro uns comendador Martins nos rolê

E agora o direto de escolha é Nosso

De capitão do mato eu nem falo

E se passa por mim eu corto o falo

A Dandara tá mais viva do que nunca

E esse gigante que vocês falaram ai que acordou

Na periferia ele nunca dormiu

Quilombo urbano é periferia alerta

Porque sororidade eu ainda vejo na favela

No recreio, vocês riam de mim

Se violência gera violência eu quero em dobro

Luther King tá descansando dentro de mim, mas Malcom X tá acordado e sempre ativo

Síndrome do Cirilo cês não vão ter

Afrocentrado é a base do poder

As correntes que eu te prendo é a do vitimismo e da meritocracia

Espera por uns 300 anos que alguma princesa vai te libertar

Ai sim, você veras que a oportunidade são para todos

Afinal somos todos iguais

Somos todos humanos…