Precisamos falar sobre bissexualidade.

Quando nascemos tudo a nossa volta é heterossexual , as pessoas sem perceber acabam nos lendo como heteros , antes mesmo de nós conseguirmos proferir a primeira palavra. Logo , imagina o susto de uma mãe quando a filha de 20 anos, depois de namorar por quase sete anos com um bom rapaz de família, decide abrir o jogo e diz ser bissexual?

Não deve ser fácil , a culpa não é dela e nem de ninguém. Não é poder dos pais ou da sociedade determinar a sexualidade de alguém… Onde é que já se viu?

Crianças que passam a vida inteira tendo uma imposição de sexualidade pendendo para a heterossexual não vão se descobrir rapidamente Homo, lesb ou bi não é? Normalmente é um processo demorado que necessita de aceitação própria e movimentações muito internas que são externadas aos poucos antes de desabrochar numa linda flor!

Portanto é natural que pessoas bissexuais só se encontrem enquanto Bi , depois de adultas/adolescentes , provavelmente até tendo apenas relação emocional e física com o sexo oposto, sabia?

Pois é , gente…
As pessoas heterossexuais precisam ficar com alguém do mesmo sexo para terem certeza que são heterossexuais? As pessoas cobram isso delas?

Acho que não hein!
Então porque raios é que insistem em ficar cagando regra na forma que as pessoas bissexuais se relacionam?

Esses problemas possuem um nome : BIFOBIA.
Sim , sim ! Bifobia existe. Porque existem coisas que apenas pessoas que são bissexuais sentem na pele e o pior é que não são apenas pessoas heterossexuais e fora do rolê de militância que nos deslegitimam não! A bifobia chega até as reuniões de coletivos de esquerda também. Até dentro dos movimentos LGBTI.

Então, além dos problemas que socialmente são impostos a todas as pessoas Bissexuais e as dificuldades que o próprio cotidiano vai impondo com relação a sua sexualidade, a deslegitimação da mesma dentro da população LGBTI é uma das coisas que mais assusta.

O apagamento das pessoas bissexuais é tão grande que o dia da visibilidade bissexual (23 de setembro) muitas vezes nem é lembrado como dia de luta, como dia de fazer eventos, palestras em prol de esclarecimento sobre o tema e isso faz com que muitas pessoas ainda permaneçam com o mesmo pensamento retogrado sobre a bissexualidade, pensam que é uma fase, que você finalmente se descobriu hetero/lésbica, que você só estava experimentando entre outros absurdos que são repetidos todos os dias.

Homens bissexuais afeminados são duplamente oprimidos em sua sexualidade, porque existe uma necessidade de reafirmação constante da sua “masculinidade” para provar aos demais sua orientação sexual . Olha só, a gente reproduzindo machismo dentro das nossas relações de militância.

Além de mulheres bissexuais que tiraram da sua performance de gênero certas coisas que o patriarcado impôs enquanto feminino, que são invisibilizadas em sua sexualidade todo o tempo, sendo repetidamente chamadas de lésbicas nos rolês da vida, o problema não é ser chamada de lésbica, o problema é ter sua sexualidade apagada.

Pessoas bissexuais muitas vezes são chamadas de indecisas e promiscuas, como se nunca pudessem adentrar um um relacionamento monogâmico porque sentiria falta do sexo oposto e talz. Bem, pode ser que a pessoa sinta falta mesmo mas garanto que isso não tem a ver com a sexualidade dela.

Existem vertentes de esquerda que afirmam a não existência da BIFOBIA, considerando que uma mulher bissexual que namora uma mulher sofre lesbofobia e uma mulher bissexual que namora um homem está em um relacionamento hetero.

Só que o primeiro passo para estar em uma relação hetero é ser hetero! E se a pessoa diz que não é heterossexual, ela não está dentro de um relacionamento hetero e isso não é discutível.

Agora obvio que pessoas bissexuais que estão se relacionando com alguém do sexo oposto , enquanto não colocam a cara no sol gozam de alguns privilégios, portanto, precisam reconhecer seu lugar de fala também, né?

Então, hoje aprendemos que:
Estar com uma pessoa do mesmo sexo não faz com que o/a bissexual seja lésbica ou Gay. Estar com uma pessoa do sexo oposto não faz com que o/a bissexual seja hétero. Relacionar-se com pessoas de quaisquer identidade de gênero faz com que pessoas bissexuais continuem sendo bissexuais. A bissexualidade existe e não pode ser ignorada quando o assunto é orientação sexual.

As pessoas bissexuais existem e resistem!