Maria Silvana Rodrigues de Azevedo de 40 anos, mãe de um adolescente de 16 anos, devia estar sonhando, não ousamos dizer com o que. Moradora de Jardim Copacabana, bairro periférico de Uberaba, certamente Maria Silvana sonhava com mais um dia de luta, mais um dia pra ser feliz. Mas às mulheres negras quase nunca é dada a chance de sonhar.

Racismo e violência invadem nossas casas. A misoginia entra pela porta da frente, alicia nossos filhos e com tiros de espingarda nos assassina. Foi assim com Maria Silvana, mais uma mulher negra vítima de feminicídio.

O autor, ex companheiro com quem ela era casada há 10 anos, notadamente inconformado com a separação, desconta sua frustração e ódio na ex mulher. FEMINICÍDIO!

Premeditado, calculado, friamente pensado. E não nos comove a tentativa de suicído: homens que odeiam mulheres nos matam sem culpa, sem dó.

Pelos sonhos interrompidos de milhares de mulheres negras, nós gritaremos!

#16DiasDeAtivismo #GritePor Elas #NenhumaAMenos