Infância e Juventude

Uma carta de amor aberta para o meu filho: Sobre luto, amor e maternidade negra

Eu, uma mãe negra de um menino negro, entendia e conhecia a dor que Sybrina Fulton (a mãe de Trayvon Martin) estava experienciando através de um intenso sentido de empatia diaspórica que atravessava/cruzava o tempo e o espaço. E eu estava petrificada pelo pensamento de perder você, ou ser mais uma mulher negra perdendo mais um filho negro. Novamente, outro assassinato de outra criança negra mal interpretado como um homicídio justificável me forçou a a confrontar o pânico secreto e tendencioso com relação ao gênero sobre maternidade negra que eu tinha carregado comigo desde que eu era uma criança.

“O amor bate na aorta” – Reflexões entre mãe e filho

É domingo, quase 18h e Abayomi vai buscar seu filho que passou parte da tarde na casa de um amigo. Classe média alta da cidade onde moram. Cidade pequena. Pequena burguesia. Talvez esta referência não tenha absolutamente nada com a história que ela me contou ter vivido logo que pegou o pequeno no fim do dia. Mas, lhe veio à cabeça o detalhe. Nafisa é atento e está imerso em muitos grupos, alguns pouco afeitos a discussão sobre as igualdades sociais e raciais então...